Todo mundo que começa a reformar o próprio apê, eventualmente acaba cometendo um deslize ou outro, no meio do caminho. Ninguém está a salvo do stress e da correria do planejamento e da obra, mas se você está lendo esse artigo, certamente, você é diferente da maioria das pessoas, pois se preocupa em antecipar os possíveis problemas, para que a obra corra de forma tranquila!

Então, já que você está empenhado em fazer a sua reforma dar certo, presta bem atenção nos 5 erros que a maioria das pessoas comete ao se aventurar no mundo da reforma de apartamento!

SAIR DEMOLINDO

Eu sei que a maioria das pessoas adora um “conceito aberto”, um “living integrado, um “cozinha americana”, mas saiba que não é todo prédio que permite e, principalmente: não é todo prédio que SUPORTA abertura de vãos nas paredes (quem driá a demolição de uma parede inteira!).

Pra você saber se pode ou não sentar a marreta no seu apê, você pode procurar essa informação, no manual de uso, operação e manutenção da sua unidade privativa (a construtora que executou o seu prédio tem obrigação de fornecer esse material para você. Se ela não forneceu, você pode conversar com seu sindico e solicitar)

O QUE NINGUÉM TE CONTA SOBRE CONSTRUIR OU REFORMAR SEM ARQUITETO (saiba mais)

No seu manual, deverão estar demarcados os ELEMENTOS ESTRUTURAIS e as paredes que podem ser removidas. Alguns prédios (cujo sistema construtivo é de alvenaria estrutural – bloco de concreto, por exemplo) não permitem a abertura nem de um rasguinho na parede pra passar uma instalação elétrica.

Por isso, antes de sair quebrando qualquer coisa, você DEVE procurar o síndico do seu prédio para saber quais documentos ele pode te fornecer para buscar essas informações e quais documentos você deve fornecer ao condomínio, a respeito da alteração que vai fazer na sua unidade privativa.

E esse é o erro numero 2:

NÃO ENTREGAR DOCUMENTAÇÃO E NÃO CUMPRIR OBRIGAÇÕES LEGAIS OU ESTABELECIDAS NO ESTATUTO DE CONDOMÍNIO

Apesar de termos a cultura do “meu imóvel, minhas regras”, um prédio, uma edificação residencial é um edifício, uma unidade só, inteiriça (formada por todos os apartamentos) e, portanto intervenções feitas em unidades privativas podem colocar em risco ou prejudicar o prédio inteiro (e o restante dos seus moradores).

O condomínio (representado pela figura do síndico) tem obrigação legal (NBR 16.280) de registrar QUALQUER obra dentro de QUALQUER apartamento. Estão dispensados apenas: troca de papel de parede e de luminárias e pintura. (sempre verifique se há alterações na legislação depois da veiculação dessa matéria).

Todas as outras intervenções feitas dentro do seu imóvel devem ficar registradas e você tem obrigação de informar ao seu condomínio. Dessa forma, quando surge uma patologia (uma trinca, um mofo, um descolamento de piso ou revestimento), fica fácil fazer o diagnóstico do motivo causador e agir no ponto certo para “curar a ferida” do edifício.

E SIM, se você for o causador da patologia, você deverá indenizar o condomínio ou fazer os reparos necessários. Mas pensa que, se não fosse assim e um vizinho seu fizesse uma cagada coisa errada, o valor do conserto seria dividido entre todos os moradores e o valor do seu condomínio só iria aumentar (porque sem a obrigatoriedade de um registro, o índice de moradores reformando por conta própria sem mão de obra capacitada seria muito alto, assim como as cagadas coisas erradas que viriam a surgir)

Cada vez mais, os condomínios vêm endurecendo as regras para com os moradores. Isso porque a construtora tem obrigação legal de dar 20 anos de garantia da obra. Mas essa garantia encerra no momento em que um morador realiza uma “AUTO CONSTRUÇÃO” ou seja, no momento em que um morador contrata o “seu Zé”, o “seu Luiz” o seu “pedreiro amigo” que não é engenheiro, não é arquiteto e, às vezes, não é nem pedreiro…

E aliás, esse é o erro número 3:

CONTRATAR MÃO DE OBRA NÃO CAPACITADA

Esse erro é responsável pelos dois últimos erros mais comuns, mas deixa eu te contar, primeiro, porque você não deve contratar aquele “faz tudo” sem a supervisão de um profissional HABILITADO (no caso, engenheiros ou arquitetos).

É MELHOR CONTRATAR DESIGNER OU ARQUITETO (clique e descubra)

Em primeiro lugar, se o seu prédio é antigo, pode ser que você não tenha memorial descritivo, manual de uso, operação e manutenção e nem tenha garantia da construtora (talvez nem a construtora exista mais). Então o seu condomínio pode não exigir a documentação mínima necessária para assegurar um diagnóstico preciso no caso do surgimento de patologias… – É por isso que é muito difícil solucionar problemas em prédios antigos (é como achar um furo em uma colcha de retalhos toda remendada) –

Sem essa obrigatoriedade, você poderia pensar que é mais “tranquilo” fazer obra na sua unidade privativa… mas e se eu te contar que, legalmente, caso algum morador do seu predio se machuque ou se prejudique de alguma forma e for constatado (por um perito judicial) que o motivo foi a “reforminha” que você fez sem um responsável técnico e, nesse caso, você poderá responder civil e CRIMINALMENTE e ser obrigado a: cumprir pena, pagar indenização – às vezes vitalícia – à pessoa prejudicada e pagar as custas do advogado da parte que moveu a ação contra você, além de pagar os custos de toda a obra necessária para resolver o problema que causou o acidente?

É pra isso que existem os RESPONSÁVEIS TÉCNICOS (arquitetos e engenheiros) que emitem seus pareceres, laudos técnicos, etc. para orientar o que pode e o que não pode ser feito e COMO deve ser feito.

ENTENDA O QUE É A “ART” OU “RRT” (clique e acesse)

Então, quando você contrata uma mão de obra não capacitada, você está sujeito a enfrentar todos esses problemas judiciais…

Mas se não for o caso de uma ação judicial… você ainda poderá enfrentar esses outros 2 probleminhas que são os últimos 2 erros mais comuns:

IMPACTOS NA ESTRUTURA

Quando você quebra uma parede ou um pedaço dela, ou um piso, com uma marreta, você causa um impacto na própria parede ou piso e esse impacto reverbera por todos os elementos da edificação os quais estão conectados entre si e com essa parede ou piso. Isso pode causar descolamento de pisos e revestimentos no seu apartamento e no apartamento de vizinhos, trincas nos forros (seus e dos seus vizinhos).

No caso de uma perfuração de viga (para passagem de duto de ar condicionado, por exemplo, ou coifa) ou do rasgo de um pilar (para instalação de tomadas, por exemplo) você pode causar uma deformação na estrutura, que pode ocasionar (quando não, o colapso da edificação) fissuras nas paredes do prédio inteiro!

Se você colocar um sobrepeso, como uma piscina, uma floreira, um telhadinho, ou o próprio material de construção (sacos de cimento, caixas de piso e revestimento) ou o entulho da obra, em um local que não suporte esse excesso (como varandas, por exemplo), além das trincas, deformações, possibilidade de colapso da estrutura, etc. você poderá comprometer a impermeabilização do seu imóvel e de vários outros do seu prédio, devido ao surgimento dessas trincas, que poderão expor o concreto e o aço (no caso de uma estrutura de concreto armado) ao contato com água da chuva e causar infiltrações e surgimento de mofos em tetos e paredes de todo o edifício.

Mas não acaba por aí…

IMPACTOS NA SUA SAÚDE E SEGURANÇA

Ninguém dá atenção a esse último errinho e é por isso que ele é um dos mais comuns apesar de ser tão intuitivo!

CANTEIRO DE OBRA É PERIGOSO! Dependendo do tamanho da reforma que você esteja fazendo, pode ser que existam materiais cortantes espalhados pelo chão, objetos pontiagudos acima da sua cabeça, coisas pesadas que podem cair em você!

Então USE EPI (equipamento de proteção individual) quando estiver rolando obra no seu apê! Use bota resistente a perfuração de pregos. Use capacete, quando for passar pelo núcleo caótico da obra e aproveita a onda da pandemia e USE MÁSCARA quando estiverem sendo usados produtos químicos tóxicos, que não podem ser inalados ou quando houver partículas em suspensão (poeira), por exemplo: na hora do lixamento da massa das paredes (para receber pintura)! E, se puder, use óculos para proteger seus olhos da poeira e dos químicos dispersos no ar e protetores auriculares, se você permanecer longos períodos na obra!

Ah! E também sempre fiscalize se os trabalhadores estão usando EPI também. A segurança deles é a sua tranquilidade mental e financeira!

Bem, por hoje, é isso! Espero que você tenha gostado desse conteúdo! Se ficou com alguma dúvida, deixe um comentário e eu terei prazer em responder! Se esse post te ajudou, compartilha com quem precisa saber dessas informações! Não se esqueça de seguir a Catabila nas redes sociais para fazer parte da comunidade!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.