Você se imagina recebendo um médico na sua casa, analisando vários exames que você fez nos últimos meses, examinando você e, depois de tudo, te passando uma receita de tratamento para o seu problema, sem te cobrar um centavo pelo atendimento? Difícil imaginar essa cena, né?

O arquiteto é um profissional que trabalha com prestação de serviço, assim como médicos, dentistas, cabeleireiros, barbeiros, tatuadores, etc.

Apesar disso, você poderá se deparar por aí com profissionais que fazem projeto ou que dão assessoria e consultoria GRATUITAMENTE!

Parece magnífico, você imagina que a ideia do profissional é fazer um investimento no próprio portfolio, porque a obra vai ficar “de revista”, porque você irá indicá-lo para vários amigos e etc. mas você já se perguntou como esse profissional vai pagar as contas no final do mês?

Eis aqui a má notícia: Certamente você está pagando pelo serviço de alguma forma.

Entenda como você pode estar sendo enganado por falsos preços baixos de serviços gratuitos (clique aqui)

Eu gostaria muito de dizer que o arquiteto não precisa pagar contas, mas infelizmente eu estaria mentindo. Os arquitetos, assim como qualquer profissional, além das contas pessoais, possuem uma série de despesas relacionadas ao exercício da sua função, tais como: anuidade do conselho profissional, licenças de softwares, despesas com computadores, mobiliário, manutenção do escritório, deslocamento até os clientes e pagamento de RRT de cada serviço prestado, entre outras.

Se você não sabe o que é e para que serve a RRT, veja esse post (clique aqui)

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU-BR) disponibiliza uma plataforma online para o cálculo dos honorários de cada uma das atividades listadas como sendo atribuições do arquiteto. Essa plataforma pode ser acessada por qualquer cidadão, para que possa ser estimado o valor do serviço profissional e, assim, o cliente não seja enganado com valores superfaturados.

Clique aqui e calcule o preço do serviço!

O ganha-pão dos arquitetos é o seu trabalho intelectual. A criatividade, a técnica, a estética, a legislação e a segurança são alguns dos conhecimentos e habilidades adquiridos durante os cursos universitários de Arquitetura e Ubanismo. Os ensinamentos absorvidos durante os 5 anos de formação é que tornarão o profissional de arquitetura capacitado a compor, criar, executar, fiscalizar e avaliar. Tudo isso com base legal e com total segurança (dentro das normas).

O profissional de arquitetura precisa e é obrigado a cobrar pela realização de QUALQUER ATIVIDADE, mesmo que seja uma simples assessoria ou consultoria pelo telefone ou whatsapp, mas principalmente se o profissional precisar se deslocar do escritório para atender um cliente.

O arquiteto, na maioria das vezes é a sua “única fonte geradora de receita”, isso significa que o tempo dele é seu instrumento de trabalho. O dia só tem 24 horas e dessas 24h, 8 são dedicadas a gerar o seu sustento. Cada hora que o arquiteto dedica a um cliente ou potencial cliente tem um custo. O piso salarial de um arquiteto recém formado é de 8,5 salários mínimos (para uma jornada de 8 horas), ou seja, se o arquiteto não tivesse absolutamente nenhum gasto (como aqueles mencionados acima) o valor da hora trabalhada giraria em torno de R$ 50.

Esse é o valor estimado do investimento que um arquiteto faz ao visitar cada cliente.

Para a sua sorte, a maioria dos profissionais não cobra pela primeira visita. Mas isso tem um custo.

Obviamente, quando um profissional não é remunerado pelo tempo que ele dedicou a uma atividade, ele precisará compensar esse tempo não remunerado, nas outras horas do dia em que estiver trabalhando. Por isso, as visitas não remuneradas automaticamente elevarão os preços de todos os outros serviços, oferecidos por aquele profissional.

Uma visita técnica não remunerada servirá apenas para o profissional entender o escopo do seu serviço. Nesse tipo de visita, o profissional não dá nenhuma sugestão, pois quer vender o seu serviço mais caro, posteriormente. Quando você remunera o profissional pela sua visita técnica, ele tem a obrigação de te ajudar a identificar o problema, dar as soluções cabíveis e, ainda, te ajudar a organizar seu orçamento e cronograma!

Por um preço baixíssimo, você poderá contar com toda a expertise do profissional para te ajudar a planejar sua obra ou reforma e ainda poderá investir em um projeto, posteriormente, se gostar do trabalho do profissional!

Gostou do post? Compartilha! Espero ter te ajudado a tirar aquelas dúvidas cruciais antes de contratar um arquiteto! Se ficou com alguma dúvida, deixe um comentário!

Não se esqueça de visitar minhas redes sociais  – INSTAGRAM  e  FACEBOOK – para ter acesso à curadoria de marcas, produtos e prestadores de serviço que eu indico! Um beijo e até o próximo post!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.